EuroTrip - Antes de viajar




Com a Internet, hoje é possível viajar o mundo sem nunca ter saído do lugar e isso é demais, mas para os viajantes incansáveis, simplesmente ver por livros, revistas, TV ou internet não é suficiente. Um viajante(!) não descansa, não dorme e não desiste enquanto não ver com seus próprios olhos as terras que seu coração guardou. Minha primeira Eurotrip foi assim. A realização de um sonho de adolescente (Conhecer o Louvre. Na época era só o Louvre mesmo).


Viajar por conta própria não é fácil, principalmente para quem não quer ficar engessado em roteiros curtos e corridos de agências. E não é barato, por mais mochileiro que sejamos.

Começo essa sequencia de posts especialíssimos fazendo referência aos blogs e sites que me auxiliaram e tornaram tudo possível.

Levou meses para reunir todas as informações necessárias para que eu me sentisse segura em embarcar em uma viagem sem o suporte de uma operadora de turismo. Porque só dá para prevenir "acidentes de percurso" com muita informação.

Existem inúmeros blogs e sites na net e sem eles certamente eu teria tido muitos problemas. Escolhi os que ficaram nos meus favoritos. Eles são feitos com muito carinho e cuidado e mesmo quando não vou viajar sempre passo para dar uma conferida.

Sobre a França:

Conexão Paris - com informações completas e valiosíssimas sobre toda a França e muito do que rola no Velho Continente. A Lina e aos colaboradores pitaqueiros do CP estão sempre a postos para ajudar.

Artde Viv - Se tiver dúvida, a Alexia sempre responde.

Sobre a Itália:

Dicas de Roma - Cheio de informações sobre a cidade.


Tô indo pra Itália - Blog feito pelo Márcio no maior capricho, cheio de dicas. Excelente!

E informações variadas no:

Viaje na viagem - do Ricardo Freire dispensa comentários.


Malas de rodinhas e necessaire - Blog muito bacana feito pela Celma, adoro os relatos dela. Virei fã do blog.

Miss Check-in - A Anna do Miss está sempre disposta a fornecer informações e até roteiros. Um doce de pessoa. Que me mandou canetinhas muito fofas, que é claro levei comigo.


O Dri Everywhere é memorável! - Não importa o lugar, com certeza a Dri já passou por lá. O blog da Dri é super badalado, tem um monte de dicas e até aulas com sua TV.

Mochileiros.com - O Super Top dos sites de troca de informações. Não tem como viajar sem antes passar lá.

Tem também o Juntos pelo Mundo, da Flavia Mariano que nos enche de coragem, sempre que dá o medinho de ir pra longe. A Flavia é uma inspiração.

!!!E claro, claro ao Google nosso de cada dia, com seu poderoso maps, tradutor etc, etc, etc... Sem ele seria impossível encontrar tanta gente boa e tantos blogs e sites cheios de informações preciosas. Quem viaja por conta própria sabe o quanto é valioso a opinião de quem já foi e já fez.


Antes de ir existem uma série de documentos a reunir, a quantidade deles vai depender do país Europeu que a pessoa vai entrar, ou seja, o primeiro país que a pessoa vai passar. Por exemplo: seu voo é Rio de Janeiro x Madri x Paris, então seu destino final é Paris, mas o primeiro país Europeu é Espanha, então você deve ter documentações que seguem as exigências da Espanha, pois você vai passar pela imigração na Espanha e não na França.
Para não errar é só conferir a documentação exigida no site da embaixada do país de entrada.

Verificar as exigências do país de entrada certinho é de extrema importância. Atentando que quem vai de outro país europeu para Inglaterra, vai passar pela imigração de novo, mesmo quem vai de trem. Então é importante estar com todos os documentos de entrada e muiiito importante estar com reservas de hotel ou carta convite.

O básico da documentação é comprovar que tem vínculos com o Brasil (faculdade, trabalho etc), Meios de se manter durante a viagem, deve-se levar dinheiro (pode ser no Visa Travel) E cartões de crédito. Reservas de hotel ou carta-convite. E claro o Seguro-saúde.

Existem procedimentos que são regras, como seguro-saúde. O Brasil tem um acordo com alguns países (Itália, Portugal, Cabo Verde, Chile, Grécia ), onde os segurados do INSS não precisam de seguro-saúde. O acordo é chamado de CDAM, mas para ter direito é necessário pegar um documento no Núcleo de Assuntos Internacionais do Ministério da Saúde de sua cidade.

Eu entrei por Roma, mas mesmo assim comprei seguro-saúde por garantia e levei o CDAM também, só para dizer que tenho vínculos com o Brasil. Afinal, não queria pagar pra ver.


Quanto ao seguro-saúde?

Tinha ficado em dúvida entre dois, o da CI e o da Mondial. O da CI é baratinho também, mas não dá pra fazer pela internet, então decidi pelo da Mondial Assistence e ainda consegui 10% de desconto.
Como? Pesquise no google "mondial assistence 10% desconto", com certeza vai aparecer um site ou blog parceiro da Mondial com um código promocional, esse código dá direito a 10% de desconto. O código é válido no mês de divulgação. É só procurar.

Quanto ao CDAM?


Para emitir no RJ o Núcleo de Acordos Internacionais fica na Rua México, 128 térreo - tel: 3985-7620.
Para saber os documentos necessários e o endereço em seu estado, clique aqui.


Quanto dinheiro levar?

Depende de quantos dias será sua estadia. Fiquei 24 dias, levei só 120 euros em dinheiro para despesas "rápidas" e o restante no Visa Travel, mas tinha 3 cartões de crédito pra completar. O agente da imigraçao só perguntou quanto dinheiro eu tinha, não pediu pra ver, mas pode ser que ele peça pra ver, então não minta. No caso do Visa Travel é melhor levar os comprovantes de saldo da casa de câmbio. Aquele que é entregue no momento da compra da moeda. E o comprovante da internet para garantir. Estava lendo que em alguns países não é aceito o comprovante de saldo da internet. Então é melhor não arriscar, né.

Para conferir a quantidade de grana necessária, volto a dizer que depende do país de entrada, da quantidade de dias e quantidade de pessoas (no caso de família). Alguns fazem uma média de 60 euros por dia x por pessoa. Para não errar, só conferindo no site da embaixada do país de entrada.


E como levar?

Leve um pouco em nota, o restante no VTM e cartões de crédito.
Depois de muito pesquisar, achei muito mais seguro levar dinheiro no Visa Travel e fazer saques lá. A Visa cobra 2,50 na moeda do cartão para saques, mas ainda assim é a melhor maneira. Usei o cartão no débito também e fiz apenas dois saques grandes. Não tive problemas.

Vi alguns brasileiros trocando moeda lá. Não acho vantagem levar dólares, pois você vai fazer dois câmbios e com certeza vai perder mais dinheiro. Levar reais é um perigo porque não é todo lugar que troca. Então a melhor opção é levar euros daqui mesmo, em dinheiro vivo e/ou no VTM.

VTM - é o cartão recarregável da Visa, que você compra em casas de câmbio, esse cartão é emitido pelo Banco Rendimento, porém só é vendido por casas de câmbio, o banco Rendimento não vende o cartão, mas administra, todas as informações de saldo, extrato é feita no site do banco.

Mas o cartão só pode ser recarregado na casa de câmbio que o vendeu, então vale a pena ficar conferindo as cotações por um tempo, porque depois não vai poder trocar de casa. Para comprar o cartão é necessário ter RG, CPF válido e comprovante de residência. O cartão é recarregável, ou seja, só compra quem tem dinheiro, por isso não há pesquisa em SPS/Serasa.
Para saber mais sobre o VTM, clique aqui.


Ficar nervoso é fato, estava super nervosa, e faz parte. Mantenha a documentação reunida e organizada. Se você não fala outro idioma, entregue tudo de uma vez. As perguntas são de praxe.
Motivo da viagem? Quantos dias? Quanto dinheiro possui?
Eles geralmente falam em inglês ou espanhol e se você não entender, não se preocupe, eles sempre se esforçam para que haja comunicação.

A quantidade de brasileiros em toda Europa é enorme, claro que isso não é garantia de nada, mas dá ao europeu um novo perfil dos brasileiros, isso é muito importante.

No próximo post: um pouquinho do que vi na França.



   
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...